Tipos – Eridan Bezerra

Tipos – Série de reportagens sobre profissões em extinção
Primeira da série: Eridan Bezerra, proprietário da JE Gráfica, Rua da Palma, 295, Edifício Sael, 1o Andar, Sala 119, Recife

Trabalho feito dentro do programa de especialização em Jornalismo Digital, da Aeso – Faculdades Integradas Barros Melo – 2013/2014 – por Manuela Salazar, Augusto Leite e Larissa Brainer

Invenção da imprensa

A tipografia clássica baseia-se em pequenas paralelepípedos de metal com relevos de letras e símbolos — os tipos móveis. Tipos rudimentares foram inventados inicialmente pelos chineses. No século XV, o alemão Johannes Gutenberg desenvolveu tipos móveis em metal e aperfeiçoou a prensa tipográfica. O conceito básico de Gutenberg foi o da reutilização dos tipos para compor diferentes textos. Mostrou-se eficaz e é utilizada até aos dias de hoje, constituindo a base da imprensa durante muitos séculos. Essa revolução que deu início à comunicação em massa, que foi chamada pelo teórico Marshall McLuhan como o início do “homem tipográfico”.

Com advento dos computadores e da edição eletrônica de texto, a tipografia permanece viva nas formatações, estilos e grafias.

Tipografia contemporânea

O design de tipos foi incrementado através de programas especializados para criação e desenvolvimento de tipos, hoje accessíveis aos interessados no assunto, dando margem a uma grande variedade de fontes que são vendidas pelas fundidoras ou editoras de tipo type foundries. O usuário destas fontes, tentado pelo fato de muitas serem gratis, deve prestar atenção no bom desenho das letras e dos espaços entre elas, que devem formar um todo harmônico, e atentar se as fontes apresentam acentos em português.

Na atualidade, novas tecnologias ampliaram muito as possibilidades tipográficas. Em 1999 um novo formato para fontes tipográficas foi desenvolvido em conjunto pelas gigantes de informática Microsoft e Adobe. O formato, denominado OpenType, permite a inclusão de milhares de caracteres em uma mesma fonte, além de vários recursos adicionais.1 Com isso, tornaram-se comuns fontes que suportam vários alfabetos, como o latino, o cirílico, o grego, o hebraico e o árabe, integrando as fontes tipográficas com a especificação Unicode.2 Lado a lado com a oferta de fontes digitais, os programas de formatação de página permitem a composição de textos combinados com fotos, desenhos e gráficos com qualidade profissional, como o Ndesign da Adobe, sendo parte do arsenal técnico dos designers da atualidade.

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *