Confira bate-papo exclusivo com Serge Birault, o PapaNinja

serge

Serge Birault ministrou Workshop de pintura digital na Aeso-Barros Melo
Foto: Jéssica Machado

Por: Vanessa Angeiras

Nos dias 10 e 11 de outubro a Aeso-Barros Melo recebeu uma visita internacional. O francês Serge Birault veio para a instituição para ministrar workshop de pintura digital para alunos, profissionais e curiosos da área. Entre os pontos abordados nos dois dias de aulas estiveram passo-a-passo de como construir pinturas hiperrealísticas em estilos pin-ups modernos, de artistas famosos ou ícones da arte, passando por tópicos que evidenciam as técnicas de pintura digital, efeitos realísticos, criação de pintura junto aos alunos, sombra e luz avançados, além de pintura realística. Tudo utilizando apenas o software Photoshop.

Serge Birault, 48 anos, é um dos maiores expoentes das artes digitais no mundo. Premiado várias vezes em revistas e sites do gênero como 3D World, CG Society, 3D Magazine, Photoshop Arts, entre outras. É um dos artistas mais convidados atualmente para eventos de artes. PapaNinja, como é conhecido na internet, ministra workshops práticos em cidades como Los Angeles, Tokyo, Sidney, Milão e, agora, em Olinda.

Aproveitamos a oportunidade para bater um papo com Serge Birault e saber mais sobre sua vida e trabalho. Confira:

poker_pin_up_2_by_papaninja-d3iihluAeso – Por que Papa Ninja?
Serge Birault – Quando minha esposa estava grávida do nosso filho mais velho, nós trabalhávamos na mesma empresa e todos estavam discutindo se seria um menino ou uma menina. Até que alguém brincou “não, vai ser um ninja!”, e ficou Papa Ninja. Como tive que escolher um nome para minha assinatura, eu escolhi esse.

Aeso – Quando você começou a desenhar?
Serge Birault – Quando eu nasci ou algo semelhante (risos)!  Quando eu era criança sempre passei muito tempo curtindo desenhar. Comecei cedo a ganhar dinheiro com isso, quando eu estava com uns 14 anos. Meu primeiro emprego foi em um restaurante espanhol, eu tive que desenhar algumas garotas dançando flamenco. Eu fiz muitos trabalhos como este, paguei todos os meus estudos assim.

Aeso – O que você estudou?
Serge Birault – Eu comecei estudando pintura a óleo, troquei para airbrush, voltei para óleo… apenas pintura tradicional, não existia Photoshop e coisas assim. No final dos anos 90 eu tentei várias vezes começar a usar a tecnologia, mas naquele tempo não era possível fazer imagens como essas que faço hoje. No começo do século eu creio que passei mais um ano aprendendo a usar tão bem o Photoshop e tentei várias vezes.

Aeso – Quais são inspirações?
Serge Birault – (Risos) São tantas, mas tem um artista japonês  Hajime Sorayama, ele fez várias pin ups, eu via quando era muito jovem e dizia para mim mesmo “quando eu crescer eu quero fazer isso”. Então eu passei muito tempo tentando fazer a mesma coisa, airbrush tradicional e com o Photoshop ficou mais fácil. Mas ele é a minha principal inspiração, eu decidi o meu estilo por causa desse artista.

Aeso – Você normalmente pinta a sua esposa, por quê?
Serge Birault – É difícil encontrar uma motivação para pintar só por mim mesmo. Então eu tento fazer presentes para alguém e a minha esposa, claro, é a minha musa.

Aeso – Você tem um trabalho preferido?
Serge Birault – Não. Porque é muito difícil um trabalho me deixar satisfeito. Algumas vezes eu apenas não fico gosto de detalhes técnicos, mas para mim é um ponto positivo porque eu sempre tento melhorar.

Aeso – Quanto tempo você passa pintando em um dia?
Serge Birault – Eu poderia passar 12 ou 14 horas por dia (risos). Normalmente eu tenho que levar meus filhos para escola e pegá-los, então eu costumo pintar 8 horas por dia, enquanto eles estão lá. Eu tento pintar menos para passar mais tempo com eles e com a minha esposa.

Aeso – Quando você começou a ensinar?
Serge birô- Eu comecei a ensinar tem uns 6 anos, no começo eu dava aulas apenas na minha cidade e hoje (risos) eu troco de passaporte porque ele já está cheio.

Aeso – Você prefere pintar ou ensinar?
Serge Birault – Eu não sei (risos). Algumas vezes eu estou cansado de pintar, depois de fazer algumas coisas ruins e aí eu fico muito feliz em viajar para ensinar. Por outro lado, quando eu ensino por muito tempo… pintar é como uma droga sabe? Você só precisa criar algo. Então depois de viajar e ensinar muito, eu só preciso pintar para mim.

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *